Paris e os restaurantes da Belle Èpoque

A Belle Èpoque Francesa começa no fim do século XIX (1871) e dura até a eclosão da Primeira Guerra Mundial em 1914. Foi uma época marcada por um clima intelectual e artístico causador de profundas transformações culturais que se traduziram em novos modos de pensar e viver.

Foi considerada a era de ouro da inovação e da paz entre os países europeus. A cena cultural estava em efervescência: cabarés,  cancans, o cinema e a arte tomava novas formas com o Impressionismo e a Art Nouveau.

Os restaurantes da época rivalizavam em beleza explorando mosaicos, vitrais, colunas e afrescos.
Segue aqui uma seleção de restaurantes parisienses que mantêm suas estruturas originais e nos fazem viajar com suas decorações exuberantes.

FERMETTE MARBEUF

fermette-marbeuf-e1472494463684

As pessoas vêm aqui para degustar seu folheado de escargot ou soufflé Grand Marnier, especialidades da casa. Mas não é pelo menu que este restaurante se destaca. Sua decoração Art Nouveau fará literalmente sua cabeça girar! Uma enorme clarabóia em vidro de 1898 cobre completamente o grande salão, suas cores de primavera torna o lugar refrescante e bucólico. Em suas paredes, admiramos cinco mil azulejos que remetem paisagens campestres e uma reprodução de Botticelli nos leva à época do Renascimento Italiano.
5 rue Marbeuf, 75008

BRASSERIE JULIEN

julien-facebook-e1472495825166

No início do século 20, a Brasserie Julien “fervia”. era frequentada por Édith Piaf e amigos. Se fechar os olhos você poderá imaginar os garçons de uniforme, inclinando-se sobre o belo bar de mogno retirando pedidos. Pessoas fumando, encostadas nas colossais colunas do restaurante. Somos facilmente seduzidos pela alma do lugar, pelo requinte de seus ornamentos na entrada, suas sublimes molduras, espelhos, piso de azulejos. As três janelas deixam-nos imediatamente sem palavras. No teto se for bem observado, é fácil reconhecer pavões e flores, mas é principalmente as mulheres estampadas nos vitrais de Louis Trezel que são a marca do lugar: quatro ninfas todas com flores, representam as quatro estações do ano, tornando a brasserie a mais feminina de Paris, ao contrário do que o nome sugere.

16 rue du Faubourg Saint-Denis, 75010

LE TRAIN BLEU

train-bleu-1-e1472494188407

train-bleu-2-e1472494264101

O que é mais romântico do que um ambiente de estação de trem retro-chic? Le Train Bleu, fica no andar de cima da exuberante Gare de Lyon. Você pode demorar um pouco para descobrir as escadas que levam ao restaurantes. Mas logo verá os lustres, os dourados, os painéis que cobrem as paredes as paredes. Então você irá se sentar em uma das cadeiras azuis do salão para admirar o teto decorado com pinturas neoclássicas. O local, construído como parte da Exposição Universal de 1900 pelo arquiteto Mário Toudoire, era frequentado por grandes estrelas como Brigitte Bardot, Jean Cocteau, Colette e por outros tantos cineastas, que rodaram cenas de seus filmes lá.
Gare de Lyon Place Louis Armand 75012

LA COUPOLE

la-coupole--e1472494303868La Coupole nasceu em 1927, durante o chamado Années Folles (anos loucos) sob a liderança de Ernest Fraux e René Lafon, dois ambicioso rapazes que sonhavam em construir o maior restaurante em Paris. Resultado: 800m2 e dois andares, apoiados por trinta e dois pilares Art Deco. No fundo, uma sala enorme, com uma decoração esplêndida feita de espelhos, mosaicos de inspiração cubista e madeira. Tanta beleza atraía os maiores artistas da época tais como Léger, Picasso, Matisse, Sartre e Josephine Baker. Hoje, as pessoas vêm para reviver o passado, mas também, observar que é um lugar está em constante criação, como evidenciado pela peça contemporânea, realizado em 2008 no teto do restaurante.

102 Boulevard du Montparnasse 75014

L’ESCARGOT DE MONTORGUEIL

LEscargot_Montorgueil_Paris_2008-e1472495061428

L-escargot_Photos-Elodie-Dupuis_005-e1472505730281

Com seu grande caracol de ouro na entrada, será difícil você se enganar sobre a localização deste lugar. O estilo deste restaurante de 1832 e assumido pelo fundador do Tour d’Argent em 1919, é inconfundível: o que impressiona primeiro é certamente o teto da entrada pintado por Pierre- Eugene Clairin, depois suas imponentes peças em madeira trabalhadas que seguem desde a sala Grande Império e continua por todo salão principal. Impossível não remarcar sua magnífica escadaria em espiral de metal, seus bancos largos e seu majestoso candelabro. Anteriormente chamado de L’Escargot ouro, esta brasserie é agora um marco muito elegante para os amantes de escargot e pernas de rã.
38, rue Montorgueil, 75001

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>